Informe Publicitário

Informe Publicitário

domingo, 11 de dezembro de 2016

NADA MAIS JUSTO: LUIS HENRIQUE É ESCOLHIDO PARA ASSUMIR A PASTA DA JUVENTUDE E CULTURA

Pelo que já vinha sendo especulado nos bastidores, aconteceu, o jovem Luis Henrique (PSL) é o escolhido para assumir a secretaria de juventude, cultura e turismo de Araripina.

Todos sabiam que nada seria mais justo do que o prefeito eleito Raimundo Pimentel (PSL) contemplar LH com uma pasta, já que mesmo tirou uma votação expressiva, e exerceu seu mandato dando sustentação a oposição juntamente com os vereadores Evilásio Mateus, Aurismar Pinho e Genival da Vila. 

Além de LH está preparado para assumir um cargo no primeiro escalão do governo Pimentel pela liderança no exercício do seu mandato como legislador, também adquiriu bons conhecimentos quando foi designado a líder da oposição sempre bem instruído pela experiencia de Evilásio que antecedeu LH na liderança da oposição. 

Desejamos ao Secretário Lídio Santiago que entrega a pasta no final de Dezembro, que o mesmo tenha ganhado experiencia e continue colaborando com a Cultura da cidade. Se aproxime de Luis Henrique ainda antes de entregar a pasta para continuar na pauta de prioridades, o incentivo a cultura local, a construção do espaço público cultural, as artes, a musica e toda expressão cultural que promova a qualidade de vida e as políticas públicas sociais através da cultura.

A aproximação com todas as manifestações culturais do município será de fundamental importância para identificar as camadas da população consumidores de eventos culturais que promova qualidade de vida e desenvolvimento social.  

DA REDAÇÃO

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016


PAPO DE FUTURO: ACREDITAR E MUDAR – A LIÇÃO SOBRE O CELULAR EM SALA DE AULA

A consultora da Câmara para a área de ciência, tecnologia, comunicação e informática, Beth Veloso, discute o desafio dos professores frente ao uso do celular por alunos em sala de aula.
Não se pode acreditar em tudo que se ouve ou vê na Internet. Mas algumas notícias prescindem de averiguação. Elas são simplesmente boas demais para não serem críveis. Não importa a origem ou identidade da notícia quando a mensagem, por si só, é tão verdadeira. Li num dos grupos da família uma notícia sobre um juiz, um aluno, e o celular na sala de aula. Tudo a ver com o nosso bate papo semanal aqui na Rádio Câmara. Pois a notícia despretensiosa sobre mais um caso de indisciplina escolar foi uma das maiores verdades que li nos últimos tempos. Como a internet às vezes nos faz felizes!
A tal história do juiz que negou indenização para um péssimo aluno que preferia ouvir música a ouvir o mestre em sala de aula é o exemplo do País que dá certo. O aluno aprendeu a lição da sua vida ao ser repreendido pelo juiz quando pediu indenização à Justiça por considerar-se humilhado quando o professor expulsou o celular da sala de aula. Deveria ter expulsado o aluno junto!
Dizendo-se impotente e humilhado, o aluno, instado pela mãe a rebelar-se, subverteu não apenas as regras escolares, mas feriu algo que falta muito aos jovens de hoje: respeito não apenas pelas regras, mas pela autoridade. Na briga entre o professor e o celular, o dito juiz deu uma aula de cidadania. Antigamente, disse ele, ensinar era um sacerdócio e uma recompensa; Hoje, parece um carma.
Como falar dos tempos fenícios e do Antigo Império egípcio ou de algoritmos e frações quando o aluno está escutando Coldplay, a famosa banda inglesa, na sala de aula? Se nem os pais conseguem mais dialogar com os seus filhos fora do mundo digital, que dirá os mestres que não devem ensinar com carinho, mas com disciplina, num mundo frouxo de valores e limites como o atual? Certa feita, sem confiar na capacidade do meu filho de enquadrar-se ao castigo de ficar sem o WhatsApp, enviei uma mensagem para ele! Bingo! Entregue! Desta feita, confisquei não só o aplicativo, mas o celular.
Ao desferir um golpe nos alunos e mães revoltados, o juiz lembrou o que todos nós já sabemos: um estudante não usa o celular nem para trabalhar, nem para estudar ou para qualquer outra atividade edificante. Então, perguntamos: que inclusão digital é essa que não inclui o aluno dentro do seu projeto acadêmico, mas concorre com ele e o faz desmerecer a figura do professor e jogar fora uma carreira promissora pela frente apenas pelo vício do “zap zap”?
O que o nobre magistrado nos leva a refletir é: qual é o sentido de uma massificação de dados que não é guiada por um programa educacional em nível nacional que possa fazer do celular uma ferramenta educacional efetiva, e não uma arma de enfrentamento da autoridade de um docente? Docente este, que, nas palavras do juiz, tem como missão tirar todos nós da escuridão da ignorância. Mais ainda! Nas palavras do juiz, “julgar procedente esta demanda é desferir uma bofetada na reserva moral e educacional deste país, privilegiando a alienação e a contra educação, baseada nas novelas, nos reality shows, na ostentação, no bullying intelectivo, no ócio improdutivo, enfim, toda a massa intectivamente improdutiva que vem assolando os lares do país, fazendo às vezes de educadores, ensinando falsos valores e implodindo a educação brasileira".
Presto meu tributo a este juiz que nos ensina que lugar de celular não é na sala de aula, apesar dos diretores, educadores e professores que, de forma condescendente ou omissa, fazem vista grossa aos efeitos maléficos do uso do celular nas escolas. Distração, desrespeito, culto ao hedonismo e ao exibicionismo são alguns dos impactos morais do uso dessas tecnologias no ambiente de ensino e aprendizagem. Totalmente desnecessário. Internet na escola, só para pesquisas, busca de informação, produção de conteúdo, disseminação do conhecimento. O resto é apenas a ponta do iceberg da falência do sistema educacional brasileiro. Manda quem pode, obedece quem tem um juiz deste!
Mande suas dúvidas, sugestões e críticas para papodefuturo@camara.leg.br
Apresentação – Elisabel Ferriche e Lincoln Macário
Participação especial – Beth Veloso

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

AMANDA ARRUDA ESTRÉIA EM QUADRO NA TV VERDE VALE DE JUAZEIRO DO NORTE




A modelo araripinense Amanda Arruda estréiou no ultimo domingo (04) como apresentadora num programa  na TV Verde Vale, em um quadro, dentro do Domingão do Balão, "Vamos combinar com Amanda", a partir das 14:00, confira ao vivo no link TV Verde Vale

É OFICIAL: CHAPECOENSE É DECLARADA CAMPEÃ DA COPA SUL-AMERICANA DE 2016


Foram dias de tristeza, luto e solidariedade. Agora, quase uma semana depois da tragédia envolvendo o avião da Chapecoense, a Conmebol confirmou que aceitou o pedido do Atlético Nacional-COL e declarou a equipe catarinense como a campeã da Copa Sul-Americana de 2016.

A definição aconteceu nesta segunda-feira, após reunião do Conselho da Confederação Sul-Americana de Futebol - representada por membros dos dez países da América do Sul.
O título garante a Chape na fase de grupos da Copa Libertadores de 2017. Além disso, o time tem encontro confirmado com o próprio Nacional de Medellín, pela Recopa Sul-Americana da próxima temporada.
A decisão da Conmebol ainda rende prêmio financeiro para a Chapecoense. Como campeã da Sul-Americana, receberá US$ 2 milhões (R$ 6,92 mi). Mais que isso, a simples participação na Recopa garante mais US$ 1 milhão (R$ 3,46 mi), e o mando de campo em três jogos da fase de grupos da Libertadores ainda renderá US$ 1,8 milhão (R$ 6,23 mi) - são US$ 600 mil por partida (R$ 2,07 milhões).
Pela escolha de pedir a entrega da taça para a Chape, o Atlético Nacional recebeu o prêmio de Fair Play da entidade, o "Centenario Conmebol al Fair Play", e ganhará bonificação de US$ 1 milhão - além de outro US$ 1 milhão pelo vice-campeonato do torneio.
Fonte: ESPN Brasil


REGULAMENTO MISS ECOLOGIA 2016


O Miss Ecologia Estudantil é uma idealização da Port Royal Produções e será realizado na Sexta-feira dia 16 de dezembro no Sesc de Araripina. Além de um desfile para revelar a miss ecologia, haverá um grande show com as bandas Desejo de Menina e Banda Encantus. 

Regulamento Miss Ecologia Estudantil 2016

Miss Ecologia Estudantil 2016 Realização: Port Royal Produções Escolas Públicas Estaduais, Municipais, Particulares e Sistema S. 

Objetivo

A realização desse evento tem como objetivo promover a beleza da mulher araripinense e da região, e principalmente conscientizar a classe estudantil sobre a responsabilidade social e preservação dos recursos naturais. Nessa edição, serão realizadas blitz, exposição pública em Araripina, distribuição de brindes, aulas de dança e apresentações artísticas.


Regulamento


Inscrições: • Todas candidatas participantes devem está matriculadas em Escolas Estaduais, Particulares e ou do sistema S. Nas escolas que existir mais de cinco candidatas haverá seleção para que cada escola indique de 03 a 05 candidatas. 

As escolas municipais, particulares e do sistema S só participarão se haver demanda.


• Para realizar a inscrição, é preciso ter idade entre 13 e 21 anos, preencher a ficha com todos os dados exigidos pela comissão organizadora da própria escola.


• As inscrições serão realizadas entre os dias 23/11 até 08 de Dezembro na própria escola onde for realizadas as seletivas ou na Av. Governador Muniz Falcão, 425 Centro (próximo a FIEPE - Federação das Indústrias de Pernambuco)


Etapas: • O concurso será realizado em duas etapas, são elas: Seletiva • A seletiva será realizada por unidade escolar, com o objetivo de selecionar no máximo 5 candidatas para representar a escola. • Na seletiva o traje sugerido é o casual e é de total responsabilidade do participante; • As candidatas serão avaliadas em três quesitos: • Beleza • Simpatia • Passarela


• Os critérios da 1º seletiva serão avaliados independente de série ou idade da participante.


*Paga uma taxa de $20,00 para assessoria de produção para a Produtora Port Royal cuidar de todos os detalhes dos ensaios, concurso e desfile.


Final: Cada escola será representada por suas candidatas que irão concorrer ao título de: Miss Ecologia Estudantil (todas as inscritas), Todas as finalistas terão suas fotos divulgadas na nossa pagina oficial e a foto mais “Curtida”, ganhará brindes diários das lojas de Araripina.



As finalistas do concurso desfilarão em trajes de Havaianas ou ao seu critério criativo que represente a Ecologia e o Meio Ambiente.


Avaliação: • Todas as finalistas serão avaliadas em três quesitos; beleza, simpatia e passarela; • Em caso de empate a passarela entra como quesito de desempate; • As notas são divulgadas no mesmo dia do evento;


Premiação: • Faixa • Bolsa de estudos inglês ou espanhol; • 500 reais • Book e produção;


As vencedoras em 1º lugar - ganha o titulo de Miss Ecologia Estudantil e os demais prêmios mencionados acima, 2º lugar - book e produção brindes de lojas, 3º lugar - book e produção. A grande vencedora além de levar o titulo de Miss Ecologia até o próximo concurso, será representante oficial dos estudante em eventos públicos durante todo ano 2017.


PARCEIROS COLABORADORES


Blog Casa de Abelha


Blog Araripina em Foco


Blog do Professor Sebastião Dias


Danilo Paparazzo 

sábado, 3 de dezembro de 2016


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

TEMER SANCIONA LEI QUE TORNA VAQUEJADA MANIFESTAÇÃO E PATRIMÔNIO CULTURAL

O presidente Michel Temer sancionou sem vetos a lei que eleva rodeios, vaquejadas e outras expressões artístico-culturais à condição de manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial.
Em julgamento feito em 6 de outubro, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional uma lei cearense que regulamentava eventos desse tipo. Desde então, a proposta que visava à sua legalização ganhou força no Congresso Nacional e foi aprovada no mesmo dia (1º de novembro) tanto na Comissão de Educação, Cultura e Esporte quanto no plenário do Senado. A decisão do STF resultou também em uma manifestação contrária a ela, feita por vaqueiros no dia 11 de outubro na Esplanada dos Ministérios.
A vaquejada é uma atividade competitiva bastante praticada no Nordeste brasileiro, na qual os vaqueiros têm como objetivo derrubar o boi, puxando-o pelo rabo. As pessoas contrárias à atividade argumentam ser comum o tratamento cruel de animais. Com a sanção presidencial publicada no Diário Oficial da União de hoje (30), a prática passa a ter respaldo legal.
Na defesa que fez de seu relatório aprovado em novembro, o senador Roberto Muniz (PP/BA) argumentou existirem ações de aperfeiçoamento da atividade para proteção do animal. Segundo ele, é preciso discutir formas de cuidar bem dos animais sem que seja necessário negar a prática de manifestações culturais, e que a proibição da vaquejada representa “desprezo do que é a cultura nordestina”, em especial a cultura do interior do país.
Com a sanção da lei, além da vaquejada passam também a ser considerados patrimônio cultural imaterial do Brasil o rodeio e as expressões culturais decorrentes dela – caso de montarias, provas de laço, apartação, bulldog, paleteadas, Team Penning e Work Penning, e provas como as de rédeas, dos Três Tambores e Queima do Alho. Também se enquadram como patrimônio cultural imaterial os concursos de berrante, apresentações folclóricas e de músicas de raiz.
Wildemberg Sales foi um dos organizadores do Movimento Vaquejada Legal no Distrito Federal (DF), evento feito em outubro contrário à decisão do STF. Segundo ele, cerca de 700 mil famílias vivem de forma direta ou indireta da vaquejada em todo o país. Ele também alega não haver agressão aos animais durante os espetáculos e que essas suspeitas decorrem, em parte, do fato de a vaquejada ser confundida com outras atividades, como é o caso da farra do boi.

FONTE: redacao@justificando.com.br
Av Paulista, 1776, 13º andar, Cerqueira César. CEP: 01310-200
São Paulo/SP

domingo, 27 de novembro de 2016

SOLIDARIEDADE POR TRÁS DAS FARDAS: EM OCORRÊNCIA, POLICIAIS DE ARARIPINA SE COMOVEM COM NECESSIDADES DE VÍTIMA E DOAM FEIRA COM ALIMENTOS


No ultimo sábado (26) os polícias SD Maike, SD P Jacinto e SD Giclaudio) 2CPM/7BPM foram atender mais uma ocorrência por volta de 12:20, uma senhora solicitou ajuda, pois um de seus oito filhos havia lhe agredido devido ter lhe pedido dez reais para comprar uma carteira de cigarros e a mesma não tinha, o acusado da agressão é um menor de 17 anos. 

Os policiais foram juntamente com a vítima a sua casa e quando chegaram ao local foram surpreendidos com a falta de estrutura física, psicológica, e financeira daquela família. Entraram conversaram com todos, inclusive com o menor acusado da agressão. Ao ser perguntado o porque da agressão, o mesmo confirmou a versão da mãe, disse que pediu dinheiro pra comprar cigarros como sua mãe não lhe deu, o mesmo ficou com raiva e agiu de má conduta, de imediato os policiais repreenderam o garoto, mas o que realmente comoveu todos os policiais foi a situação de como aquela família estava sobrevivendo naquela casa, já que faltava tudo do mais básico que podemos ter em nossas casas.

Os policiais realmente ficaram bastante comovidos que chegaram a perguntar entre si como existe tanto sofrimento por aí afora e agradeceram por serem milionários das graças de Deus e terem o bastante pra saber que existem pessoas mais necessitadas que precisam de ajuda de todos nós.

Após a conversa com o jovem, ele falou que aquilo não voltaria a acontecer e os policiais foram embora já que a mesma não quis registrar o boletim de ocorrência. Os policiais já estavam indo almoçar quando foram tocados no coração relembrando o ocorrido novamente e decidiram os três que faziam parte da viatura, comprar uma feira para aquela família. Foram em um mercado onde o dono é amigo e deu um desconto, enquanto os policiais estavam fazendo a feira, se aproximou um casal bastante humilde que sabia que a feira era pra ajudar uma família necessitada e ainda chegaram dando mais $10 para ajudar e para a surpresa dos policiais que ficaram surpreendidos com a atitude do casal humilde. 

Voltando a casa da família para entregar a feira, a família toda ficou feliz e bastante agradecida pela ajuda bem vinda, e então todos ficaram felizes por ajudar pelo menos com um pouco de comida pra aquela família, o soldado policial Jacinto registrou tudo e resolveu compartilhar esse momento, não para engrandecer o homem da terra, jamais, pois toda honra e toda glória é de Deus, mas pra nós podermos refletir um pouco sobre nossas vidas e parar de reclamar sobre tudo e AGRADECER a DEUS por tudo.                     

Capitão Barros: "Essa é a verdadeira missão policial, socorrer os mais necessitados e não proteger   opressores".