Informe Publicitário

Informe Publicitário

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

PROJETO LIMITA USO DE ARMAS DE FOGO NA AÇÃO POLICIAL

O Plenário do Senado vota nesta quarta-feira (26) o Projeto de Lei 256/2005, que determina a prioridade do uso de armas não letais sobre as armas de fogo na ação policial — desde que essa opção não coloque em risco a vida dos policiais. O texto foi aprovado na última quarta-feira (19/11) na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.
De acordo com o projeto, armas não letais têm baixa probabilidade de causar mortes ou lesões permanentes e são projetadas para conter, debilitar ou incapacitar pessoas temporariamente. São exemplo desse tipo de instrumento gás lacrimogêneo, balas de borracha, spray de pimenta e arma de eletrochoque, também conhecida como taser.
O autor do projeto, senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), destaca o crescimento da violência na ação policial, resultando em grande número de mortes, em especial de jovens. Para reduzir as ocorrências e manter a integridade física de pessoas em abordagens policiais, ele sugere disciplinar o uso da força pelos agentes de segurança, com prioridade para armas não letais.

PUBLICIDADE


PREFEITO ALEXANDRE MANTÉM UNIDADE NA CÂMARA DE VEREADORES

Na eleição, para eleger a Mesa Diretora  da Casa Joaquim Pereira Lima, que aconteceu, no último dia 20, o vereador Luciano Capitão, foi reeleito presidente da câmara para o biênio 2015/2016, em sessão ordinária.

Uma votação tranquila, em que o parlamentar recebeu 14 votos, dos quinze vereadores que compõe a câmara de Araripina, o vice prefeito Valmir Filho estava presente na sessão e compôs a mesa.

Essa eleição mostra a seguinte radiografia da gestão do prefeito Alexandre Arraes “unidade e coesão do grupo” 

A eleição demonstrou a unidade do grupo político liderado pelo prefeito Alexandre Arraes, a maioria dos votos que elegeram Luciano Capitão foram garantidos pela bancada de situação


Por Dante Arruda/Imagem Fabiano Alencar

terça-feira, 25 de novembro de 2014

IMPRENSA MARROM ESTÁ EM ALTA EM ARARIPINA

Antigamente o jornalismo era exercido por dois tipos de pessoas: quem achava que aquela era uma profissão séria e pelos picaretas, que usavam o ofício para todo tipo de picaretagem.

Pesquiso na internet o termo "imprensa marrom", que sintetiza o jornalismo exercido por esses delinquentes. Encontro no Wikipédia a seguinte definição:

"Imprensa marrom ou Imprensa cor-de-rosa é a forma como podem ser chamados pessoas ou comunicadores considerados publicamente como sensacionalistas e que busquem alta audiência nos blogs através da divulgação exagerada de fatos e acontecimentos. É o equivalente brasileiro e português do termo yellow journalism. Em todos os casos há transgressão da ética jornalística tradicional.

Poder-se-ia citar vários órgãos tanto da imprensa escrita quanto da falada ou televisiva como veiculadores da assim chamada imprensa marrom. Entretanto estas citações sempre teriam como bojo o viés político daquele que cita, de acordo com a visão que este possui do mundo e da realidade em que vive.

Fato é que, frequentemente, veículos de imprensa divulgam notícias amparados em sua linha editorial ou em suas próprias crenças políticas, econômicas ou sociais, de modo a influenciar aquele que recebe a notícia no sentido de se engajar em sua própria visão de mundo. Cabe àquele que recebe a informação, deste modo, verificar se possível em várias fontes para se inteirar da realidade dos fatos e formar sua própria opinião."

Ocorre que em Araripina alguns blogs oposicionistas que não desce do palanque eleitoral nem a pau, só olham para o governo com aquele “tapa olho” que os jumentos usam para olhar para a frente, da mesma forma os opositores fazem, só olham para o ruim, para transformar em noticias sensacionalistas em busca de acessos e um pouco de fama momentânea para confortar seus egos.

Com texto de Carlos Motta


ESTAMOS DE OLHO

A cada 15 segundos uma mulher é espancada no Brasil e uma em cada três é vítima da violência sexual no mundo. 

Não permita que essa estatística aumente. Denuncie vizinhos, amigos, conhecidos ou desconhecidos que pratiquem qualquer tipo de violência contra pessoas do sexo feminino. 
#Ligue180

UNIDADE DE PRONTO ATENDIMENTO INICIA OBRA EM ARARIPINA


A obra garantirá dignidade no atendimento às urgências e emergências, com rapidez e qualidade.

O Governo Municipal de Araripina está construindo a primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 Horas. A obra que está a todo vapor é uma conquista do prefeito Alexandre Arraes (PSB) que vem buscando formas legais para melhorar a qualidade na saúde do município e desafogar os atendimentos de urgência e emergência no Hospital e Maternidade Santa Maria.

De acordo com o prefeito Alexandre Arraes esta conquista para Araripina é fruto do planejamento de gestão, com estratégias traçadas a fim de melhorar a vida da população. “Nosso governo vem favorecendo qualidade nos atendimentos dos pacientes que precisam de melhorias na sua saúde, tivemos a conquista das reformas das ESF’s, estamos construindo duas novas Unidades Básicas de Saúde e agora iniciamos a construção da UPA 24 horas, nossas metas estão sendo atingidas rapidamente, e vamos cumprir até o final da nossa gestão 80% em melhorias para a qualidade de vida de quem mais precisa”, disse o chefe do poder executivo de Araripina.

A Unidade de Pronto Atendimento está sendo construída as margens da BR 316, próximo a entrada do Aeroporto, a localização facilitará o acesso do cidadão e as vias de transferência de paciente quando necessário for.

Saiba ainda:

O processo de atendimento funcionará da seguinte maneira: o paciente chega à unidade, os médicos prestam socorro, controlam o problema, detalham o diagnóstico, e analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê-lo em observação por 24 horas. A ideia é que a unidade seja capaz de resolver todos os casos de urgências e emergências que receba, desafogando as unidades hospitalares, para onde serão encaminhados somente os pacientes que realmente necessitem.

ASCOM – ARARIPINA (Fotos: Gustavo Mendes)


BLOG DO DANTE ARRUDA RELEMBRA AMIZADE HISTÓRICA DO EX-GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS (IN MEMORIAM) E O PREFEITO ALEXANDRE ARRAES

Alexandre Arraes e Eduardo Campos prestam juramento na formatura de Economia na UFPE

Muita gente não sabe, mais a amizade do prefeito de Araripina Alexandre Arraes, com o ex-governador Eduardo Campos (in memoriam) vai muito além do parentesco da família Arraes.

Alexandre Arraes e Eduardo Campos eram amigos, estudaram e se formaram em 1986 no Recife cursaram juntos na UFPE o curso de Economia.
Uma amizade dentro e fora das salas de aulas foram tempos difíceis para a família com o exílio ex-governador Miguel Arraes e sua família, e com medo de perseguição política, como mesmo declarou o ex-governador em entrevistas, por esse motivo, não ganhou no seu nome, o sobrenome Arraes. 


Quando Alexandre Arraes entrou na Faculdade de Economia, em 1981, o Brasil era uma ditadura militar ainda estava no poder, o Gal. João Batista Figueiredo era o Presidente.

Ainda na década de 80, Eduardo Campos, era um rapaz de poucos amigos, muitos não se aproximavam com medo de perseguição política, mais um se manteve fiel até o fim, dentro e fora da UFPE, por esse motivo, o ex governador sempre teve grande apreço e consideração pelo amigo Alexandre Arraes.

Roberta Arraes, primeira-dama de Araripina que foi convocada a entrar na política por incentivo de Eduardo, é presidente do  Diretório do PSB municipal e tem correspondido com às expectativas que Eduardo enxergou.

por Dante Arruda

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

PUBLICIDADE


FAZER MAIS COM MENOS

Um tema com grande foco na última campanha eleitoral foram os programas sociais, inegavelmente um dos maiores fatores que impulsionaram a saída de 25 milhões de brasileiros da faixa de pobreza, composta por pessoas que ganham menos de US$4 por dia (R$10 ou R$299 por mês).

Eles foram catapultados, em ampla maioria, para o segmento com renda pessoal entre R$300 e R$750 por mês, o que dá um valor de R$1.200 a R$3.000 para uma família de tamanho médio, composta por quatro pessoas, o que as coloca na faixa das pessoas em situação de vulnerabilidade social. Finda a campanha, o tema deve merecer uma reflexão aprofundada, que vai além da simples manutenção ou não de tais programas até porque ninguém, com um mínimo de bom senso, pensaria em extinguir programas com forte efeito inclusivo, como o Bolsa Família. Análises menos apaixonadas destacam um ponto que se configura, com crescente clareza, como uma fragilidade das atuais políticas de assistência social.

Em entrevista concedida ao Valor Online entre o primeiro e o segundo turno das eleições, o mexicano Jorge Familiar, vice-presidente do Banco Mundial (Bird) para a América Latina e Caribe, destaca que o Brasil é um país-chave no resgate dos 40% da população do planeta, que vive em pobreza extrema (renda diária de menos de U$1,25) até 2030.



ALERTA: COM INFESTAÇÃO DE MOSQUITO, ARARIPINA CRIA PLANO DE AÇÃO CONTRA CHIKUNGUNYA


“Com o período chuvoso os trabalhos serão intensificados em Araripina”

A Prefeitura de Araripina, através da Secretaria Municipal de Saúde informou nesta terça-feira (18) que tem tomado medidas para combater a disseminação do mosquito Aedes aegypti e já criou um plano de preparação contra a febre chikungunya, seguindo diretrizes do Ministério da Saúde.

Para isso a Prefeitura criou o Plano de Ação Municipal. Esta semana a secretária de Saúde, Glória Beatriz esteve reunida na Sede dos Agentes de Endemias para articular uma pauta de trabalhos sobre possíveis criadouros predominantes e analisar a situação de infestação no município. Serão feitas ações de controle para as áreas mais críticas, e fortalecer na conscientização dos agentes em relação aos cuidados dentro dos imóveis.

A secretária Glória explicou que as medidas de enfrentamento e prevenção às duas doenças são parecidas, já que partem do princípio que se deve controlar o mesmo vetor de transmissão. O planejamento entre os órgãos governamentais é ampliar as ações educacionais para diagnóstico da febre chikungunya, ainda desconhecida pela população e pelos próprios agentes de saúde.

De acordo com o prefeito Alexandre Arraes (PSB), o país inteiro está em alerta contra este novo vírus transmitido pelo mosquito e agora com as chuvas é preciso tomar maiores cuidados quanto à prevenção e os cuidados, um alerta importante e que precisa do apoio de toda sociedade.


ASCOM - ARARIPINA

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

MUNICIPALIZAÇÃO DO TRANSITO É DISCUTIDO EM AUDIÊNCIA PÚBLICA EM OURICURI E ARARIPINA SAI NA FRENTE COM CRIAÇÃO DA SUA AUTARQUIA DE TRÂNSITO

Simíramis Queiroz - presidente do Conselho Estadual de Trânsito

A chegada da Autarquia de Trânsito de Araripina – ATTA criada em 2011 pelo (na época) interino, prefeito Alexandre Arraes (PSB) justamente no momento em que Araripina foi destaque na imprensa nacional por ser a cidade do Brasil onde era registrado o maior numero de óbitos por acidentes de transito tem dado resultados positivos e o município reduziu ano após ano esse triste cenário.


Na Audiência Pública de Transito realizada na cidade de Ouricuri na ultima terça-feira (18) com a participação do Conselho Estadual de TrânsitoSecretaria Estadual de Saúde, Policia Militar, Bombeiros, Sociedade Civil, DETRAN, entre outras entidades segmentadas, foram discutidos entre outros assuntos, a questão da municipalização do trânsito devido nossa região ainda manter um alto indice de violência no transito.

De acordo com a presidente do Conselho Estadual de Trânsito, Simíramis Queiroz, o mau comportamento dos motociclistas muitas vezes acaba culminando em acidentes. “[Eles] se aproveitam por a moto dar mais mobilidade e acham que podem cometer infração, até escapando de engarrafamento por cima da calçada, se colocando em alto risco. E o retrato dessa falta de conscientização é esse alto índice de acidentalidade”, disse.

Conversamos com Sebastião Arraes que é presidente da ATTA e ele nos confessou que o trabalho tem sido intenso, com sinalização das ruas, organização das vias mão/contramão no centro, parcerias com DETRAN e Policia Militar e outras entidades, como também palestras realizadas nas escolas, e ações que diante das estatísticas demonstram que tem funcionado bem.

Com participação de Dante Arruda
Fotos: Fabiano Alencar

PUBLICIDADE


O USO DO CARVÃO MINERAL TRAZ DIVERSOS RISCOS SOCIOAMBIENTAIS E PODE SE EXPANDIR NO BRASIL


Veja como atuar para impedir esse retrocesso:

O carvão mineral é um combustível fóssil, matéria-prima não renovável. Seu processo de extração devasta grandes áreas, polui solo e corpos d'água, e causa diversas mortes devido ao elevado risco ocupacional aos trabalhadores nas minas. Em seu transporte e queima, altos níveis de emissões são gerados, causando sérios problemas, como doenças respiratórias e danos ao sistema nervoso(principalmente em crianças, devido ao mercúrio); e contaminação de peixes. Após queimado, o carvão se transforma em cinza, resíduo que precisa ser estocado em imensos reservatórios.
Resumindo, o carvão mineral, que gera 40% da energia do mundo, é conhecido como o maior poluidor da atmosfera terrestre, a população chinesa que o diga. Responsável por 83% das emissões de dióxido de carbono desde 1990, ele já matou muita gente e segue essa tendência em razão de sua influência no desequilíbrio do efeito estufa. Em relatório recente do IPCC, o mais contundente até então, o painel do clima da ONU descreve em forma de alerta a urgência da necessidade de redução das emissões para manter as médias de aquecimento abaixo de 2°C após o início da era industrial.
No próximo dia 28 de novembro ocorrerá o Leilão A-5/2014, que vai servir como definição sobre quais empresas poderão expandir o potencial energético do Brasil a partir de 2019. No total, 1.115 projetos se inscreveram para o leilão - a maioria das iniciativas priorizou matrizes renováveis. No entanto, também ocorreram inscrições baseadas em matrizes não renováveis, dentre elas, dez iniciativas movidas a carvão mineral, com grandes possibilidades de serem contratadas.
Se você também é contrário à contratação de usinas termelétricas a carvão, assine a petição online, endereçada a membros do governo federal de nosso país e que solicita a exclusão da participação de projetos de termelétricas que utilizam carvão mineral.