Informe Publicitário

Informe Publicitário

segunda-feira, 2 de março de 2015

IPUBI 53 ANOS DE GLÓRIA


A minha homenagem é para cada cidadão ipubiense que conquistou resultados desbravadores, grandes êxitos no desenvolvimento e na construção significante da nossa sociedade.

Com reconhecimento do que já se fez, estou certa que ainda há muito a ser fazer por nosso querido município.

Ipubi nos confia radiante;
...Um futuro de glória erguer...
...Pelo bem estejamos de pé,
Defendendo este solo sagrado.

Ana Abrantes

Jornalista

JUSTIÇA ESTÁ MAIS RÍGIDA COM QUEM USA A INTERNET PARA DIFAMAR PESSOAS


Por Neide Duarte
A justiça brasileira está mais rígida com quem usa as redes sociais e os grupos de conversas de celular para ofender, falar mal, difamar os outros. Quem posta a ofensa é punido, quem compartilha é punido e quem simplesmente entra na página e concorda com o que viu também é punido. Já tem casos em que a vítima ganhou uma indenização de R$ 20 mil de todos os envolvidos.
O mundo que se exibe numa tela, onde a vida é meio de verdade, meio de mentira, meio civilizada, meio selvagem, e cada um diz o que quer acreditando estar livre de qualquer conseqüência, a cada dia fica mais parecido com o mundo real.
Nos últimos seis anos passaram pela justiça brasileira mais de 500 casos de vítimas de ofensas virtuais. Na grande maioria quem ofendeu foi julgado criminalmente e, além disso, pagou uma multa de R$ 20 mil a R$ 30 mil.
Quem responde pelo crime virtual? Em primeiro lugar, o responsável pela internet naquele computador.
“Como no caso de automóveis, aquele que vai responder se não puder dizer que foi outra pessoa e apresentar, é o dono do veículo que tem identidade amarrada à placa o carro. A mesma coisa acontece na internet. Em termos de resultados para isso é que a internet gera mais provas. Está tudo documentado”, diz a advogada especialista em crimes virtuais, Patrícia Peck.
A publicitária Viviane Teves sabe disso e pretende entrar na justiça por causa de estranhas mensagens que vem recebendo. Ela foi estuprada, dez anos atrás e agora resolveu contar essa história numa rede social, como forma de alerta para outras mulheres.
“Deu meia-noite e eu comecei a receber mensagens no celular: ‘parabéns pelos 10 anos de estupro, espero que seja estuprada novamente, só vim aqui para te dar parabéns’”, conta.
“Alguém começa uma piada, uma brincadeira de mau gosto e as outras pessoas curtem e começam a compartilhar isso achando que 'tudo bem, não vai me acontecer nada'. Mas não é assim. Todos os que se juntam na ofensa à uma pessoa, respondem junto com a pessoa que publicou aquele conteúdo”, explica a advogada.
Uma menina de 11 anos está sofrendo há alguns anos com ofensas de colegas de classe, pessoais e nos últimos tempos virtuais. Este ano além do grupo da rede social, os colegas criaram um grupo no celular.
“Conversava das lições tudo. Aí depois, a gente entrava num assunto começava a me chamar de chata, de gorda, de monstra”, conta a menina.
“Pretendo marcar com pais dessas crianças que fazem isso com minha filha: para pararem que a gente sabe onde isso acaba... Em depressão. Ela não vai querer mais estudar por causa disso. E coisas piores. A gente vê isso na família”, fala a mãe da menina.
“A internet promove uma certa covardia. É público, mas acaba sendo de uma forma, pelas costas, com requinte de maldade. Hoje crimes tipificáveis pelo Código Penal Brasileiro tem sido o de difamação, que seria você expor a honra, a imagem de uma pessoa pela internet, e esse crime pode estar associado a outros: incitação ao crime, por exemplo, a ameaça. Se decidir ir para justiça tem prova para punir essas pessoas”, completa a advogada.
Fernanda F.
Estudante de Direito
Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi. Especialista em Gestão Empresarial. Graduanda em Direito. Atuante no setor de aviação.

PREFEITO E PRIMEIRA-DAMA DE ARARIPINA CONTINUAM COM PRESTIGIO NO GOVERNO DO ESTADO

Prefeito Alexandre e Roberta Arraes recebem visita da secretária de educação do município Cibele e o do estado Dr. Fred

O secretario de educação de Pernambuco Dr. Fred Amâncio veio em Araripina na ultima semana para tratar de assuntos administrativos com o prefeito Alexandre Arraes (PSB). Ao chegar à cidade, Dr. Fred mantendo o hábito dos lideres do PSB, fez questão de se hospedar na casa de Alexandre e Roberta.

Ao contrário do que alguns agentes da oposição imaginam, o prestígio do casal Alexandre/Roberta Arraes está em alta e não seria diferente. Qualquer cidadão ou cidadã, independente do partido político, sabe do bom relacionamento deste casal com o saudoso líder nacional do PSB Eduardo Campos e lideranças estadual e nacional do partido.

Alexandre Arraes e Roberta tem construído um legado político de respeito com os lideres do PSB. O secretário de Educação, por exemplo, trouxe o recado do governador Paulo Câmara que nos próximos dias estará fazendo sua primeira visita como governador em Araripina, já que durante a campanha eleitoral o município sempre esteve na sua agenda política.

O secretario garantiu que está pronto para firmar parceria e convênios que aproxime ainda mais as crianças carentes e jovens araripinenses de uma educação de qualidade oferecida pela prefeitura e governo do estado.


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

PUBLICIDADE


quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

EX-VEREADORA DE ARARIPINA É ACUSADA DE RACISMO


Desde a escravidão, os negros estão na base da pirâmide social e, os brancos, na parte superior. A escravidão acabou em 1888, com a Lei Áurea, mas pouca coisa mudou na estrutura social.

O caso em Araripina aconteceu na ultima quarta-feira (25) dentro de um local público, onde, segundo a vitima, a ex-vereadora xingou de negra fedida e bajuladora. A vítima registrou um Boletim de Ocorrência da 24ª Delegacia de Polícia de Araripina e pretende processar a ex-parlamentar que faz parte de família tradicional de Araripina.

No processo histórico do último século, os resultados do mecanismo de exclusão dos negros ficaram diluídos, ou seja, há negros com boas condições de vida, pardos pobres e brancos miseráveis. No entanto, a estrutura social continua sendo racista. Enquanto os brancos são excluídos por diferenças de classe, os negros são marginalizados por uma questão de classe e cor de pele.

Uma medida importante é que a lei brasileira prevê a prisão por crime de racismo. Essa lei coloca no plano simbólico (lugar onde o racismo é muito forte) a noção de que ser racista é crime, que os negros precisam ser respeitados e tiveram força suficiente para que isso fosse regulamentado.

Só que essa lei só terá efetividade se for aplicada contra todos, principalmente os ricos e poderosos, que costumam ser beneficiados pela impunidade.

*Devido o caso ainda não ter sido julgado, não podemos divulgar os nomes da vitima e nem da acusada. Mas, fica o alerta, RACISMO É CRIME.

POLÊMICA: SEGUNDO ESPECIALISTAS, WHATSAPP NÃO SAIRÁ DO AR NOS PRÓXIMOS DIAS

A Justiça do Piauí anunciou ontem uma decisão que pede que o WhatsApp seja tirado do ar em todo o país. Porém, especialistas entrevistados por EXAME.com acreditam que o serviço deve continuar funcionando normalmente nos próximos dias.
Um deles é Adriano Mendes, advogado especializado em direito digital. Segundo ele, há dois artigos no Marco Civil da Internet que permitiriam que a Justiça tirasse o WhatsApp do ar. Porém, esses artigos ainda não estão em vigor.
O artigo 11 submete os apps em operação no Brasil à legislação brasileira mesmo que a empresa responsável por eles esteja sediada em outro país. Já o artigo 12 prevê pena de suspensão temporária das atividades para aplicativos que descumprirem o artigo 11. 
Como os dois artigos não estão em vigor, a determinação da Justiça fica sem base legal. Conforme apurou Info, a decisão foi motivada pelo compartilhamento de imagens indevidas por alguns usuários do app.
Mendes considera que suspender o serviço por esse motivo é algo desproporcional. "É como se um juiz suspendesse o abastecimento de água de uma região porque alguém que mora lá não está cumprindo o racionamento", afirmou.
"Se há pedófilos usando o WhatsApp,  a obrigação da Justiça é identificá-los e prendê-los", disse Mendes.
Outros casos
Segundo o advogado, a suspensão de serviços online por ordem da Justiça é comum em países como China e Coreia do Norte. No Brasil, os casos do tipo são mais raros. 
O mais notório deles aconteceu em 2007. Naquele ano, o YouTube passou cerca de 48h fora do ar. Motivo: um vídeo que mostrava a modelo Daniela Cicarelli fazendo sexo com o namorado numa praia espanhola.

POLÍTICA DO PÃO E CIRCO: APÓS AUMENTO NA TAXA DE FINANCIAMENTO DA CASA PRÓPRIA, CAIXA RENOVA PATROCÍNIO DE R$ 30 MILHÕES COM O CORINTHIANS




política do Pão e circo (panem et circenses, no original em Latim) como ficou conhecida, era o modo com o qual os líderes romanos lidavam com a população em geral, para mantê-la fiel à ordem estabelecida e conquistar o seu apoio. Esta frase tem origem na Sátira X do humorista e poeta romano Juvenal (vivo por volta do ano 100 d. C.) e no seu contexto original, criticava a falta de informação do povo romano, que não tinha qualquer interesse em assuntos políticos, e só se preocupava com o alimento e o divertimento.

Assim, nos tempos de crise, em especial no tempo do Império, as autoridades acalmavam o povo com a construção de enormes arenas, nas quais realizavam-se sangrentos espetáculos envolvendo gladiadores, animais ferozes, corridas de bigas, quadrigas, acrobacias, bandas, espetáculos com palhaços, artistas de teatro e corridas de cavalo. Outro costume dos imperadores era a distribuição de cereais mensalmente no Pórtico de Minucius. 

Basicamente, estes "presentes" ao povo romano garantia que a plebe não morresse de fome e tampouco de aborrecimento. A vantagem de tal prática era que, ao mesmo tempo em que a população ficava contente e apaziguada, a popularidade do imperador entre os mais humildes ficava consolidada.

Desde o dia 19/01/2015, os "pobres mortais" brasileiros estão pagando mais caro (sim, isso é possível) pelo o financiamento da casa própria. Foram corrigidas as taxas de juros das operações para financiamento de imóveis residenciais contratadas com recursos da poupança (SBPE).
A taxa de juros cobrada pelo Sistema de Financiamento Habitacional (SFH), que financia imóveis de até R$ 750 mil com recursos tanto do FGTS como da poupança, permaneceu em 9,15% para quem não é cliente do banco e sofreu alteração para quem é cliente, incluindo servidores públicos.
Já pelo Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI), que financia imóveis com valor acima de R$ 750 mil, a taxa de juros anual passou de 9,2% para 11% para os não-clientes.

A contrassenso, ou seja, em um absurdo que se opõe a lógica, o Diário Oficial de ontem, 23/02/2015, confirmou o acordo que havia sido fechado na última semana e informou que o banco estatal vai pagar R$ 30 milhões ao clube paulista neste ano.

É o maior valor de patrocínio máster - aquele que estampa a marca de uma empresa no peito do uniforme - entre os clubes brasileiros. Com o acordo, o Corinthians alivia um pouco suas finanças para a temporada. As receitas de bilheteria estão comprometidas para pagar a construção do estádio de Itaquera, motivo da discórdia com a Prefeitura de São Paulo.

Confira o Texto publicado na página 102 do Diário Oficial desta segunda-feira (23/2)

SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL PAULISTAEXTRATO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO
CONTRATANTE: Caixa Econômica Federal; CONTRATADA: Sport Club Corinthians Paulista; OBJETO: Patrocínio ao projeto Futebol - Sport Club Corinthians Paulista; MODALIDADE DE LICITAÇÃO: Contratação direta, com inexigibilidade de licitação, conforme art. 25 da Lei nº 8.666/93; VALOR: R$ 30.000.000,00 (trinta milhões de reais); AUTORIZAÇÃO: AP 283/2015.

Estaríamos, então, diante de uma versão moderna da política do pão e circo?

Olhando o cenário nacional em que o consumo está se tornando insustentável com o aumento de impostos, câmbio descontrolado, aumento do combustível, dos alimentos, do aluguel, dos juros de financiamento, entre outros tantos diversos, vemos a tentativa maquiavélica de nossos políticos de entreter o cidadão com patrocínio milionário a times de futebol, ainda, lembrando da inesquecível e frustrada copa mundo, em que os gastos desenfreados mostraram a ineficiência de nossos gestores com o dinheiro público.

Entretanto, ao que parece, a tentativa está surtindo efeito contrário. Os movimentos sociais estão eclodindo, mostrando a insatisfação com a má administração do dinheiro social, fonte de estupenda corrupção, pois quem sempre arca com a burrice política somos nós, trabalhadores honestos.

Axwel Leonardo do Prado Farinelli
Advogado, formado pela Universidade Federal da Grande Dourados e especialista em Direito Processual Civil. Atuante especialmente em direito civil, direito do trabalho e direito previdênciário.

JUÍZES FORA DA LEI PENSAM QUE SÃO DEUS

Na magistratura brasileira (como em todos os lugares do planeta) há juízes de todo tipo (honestos, venais, ladrões, negligentes, aristocratas etc.). Os honestos e trabalhadores são os mais atingidos indiretamente em sua honra diante dos atos e omissões dos juízes pouco ortodoxos (fora da lei). Nesta última categoria há de tudo: juiz que usa carro apreendido para ser leiloado (carro de Eike Batista), que dá “carteirada” e prende a funcionária do trânsito mesmo estando com seu veículo irregular, que prende funcionários de companhia aérea depois de ter perdido o horário do voo, que maliciosa ou negligentemente guarda o processo, sobretudo de réus importantes (deputados, por exemplo), nas gavetas até chegar a prescrição, que afasta de suas funções outro juiz por ser “garantista das garantias constitucionais” (tribunal de São Paulo), que mora em apartamento funcional do Senado em Brasília pagando aluguel simbólico, ou seja, muito abaixo do mercado (esse conúbio entre o Senado presidido por um político processado criminalmente e ministros de tribunais superiores não é uma coisa boa para o País), que recebe imoralmente auxílio moradia mesmo tendo imóvel para morar (recebe um tipo de aluguel por ocupar o seu próprio imóvel), que se declara solidário a réu preso por suspeita de corrupção (caso Gilmar Mendes e o ex-governador de Mato Grosso divulgado pela Época), que é condenado por corrupção por vender sentenças (caso recente em SP e vários outros Estados – mais de 100 juízes já foram punidos pelo CNJ) etc.
O primeiro corregedor-geral do país (ouvidor-geral) também foi um corrupto
Se os corruptos e corruptores, no Brasil, atuam com a mais absoluta sensação de que ficarão para sempre impunes, se a corrupção (entendida como prática criminosa que envolve agentes públicos e privados) aqui ingressou com os primeiros habitantes europeus e se consolidou com a construção do arremedo do “Estado Brasil”, em 1548 (tempo de Tomé de Sousa, Governador-Geral) e se o primeiro ouvidor-geral do Brasil (primeiro corregedor-geral da Justiça), Pero Borges, para cá foi nomeado (em 17/12/1548) pelo rei depois de ter surrupiado grande soma de dinheiro na construção de um aqueduto, em Elvas (no Alemtejo) (veja E. Bueno, em História do Brasil para ocupados, organizado por L. Figueiredo, p. 259), como negar que pertencemos a uma cultura patriarcal e patrimonialista desavergonhada, sem escrúpulos, sem pudor, debochada?
Analisando-se os desmandos e as estrepolias dos juízes corruptos, que vêm da escola de Pero Borges (que aqui se enriqueceu mais ainda), entende-se rapidamente a diferença entre uma cleptocracia (Estado governado por ladrões) e uma democracia cidadã civilizada (como é o caso dos países nórdicos, por exemplo: Suécia, Finlândia, Dinamarca, Noruega e Islândia): basta verificar a eficácia (ou ineficácia) do império da lei, ou seja, o quanto fica impune a corrupção do poder político-econômico-financeiro. Se os ladrões graúdos (agentes políticos, altos funcionários, agentes econômicos e agentes financeiros), que têm como escopo principal ou lateral de vida a Pilhagem do Patrimônio Público, desfrutam de um alto nível de impunidade, estamos inequivocamente diante de uma cleptocracia. E esse é o caso do Brasil.
Mas a negligência ou conivência da Justiça (frente aos poderosos) é um fenômeno isolado ou bastante corriqueiro? É frequente e onde isso ocorre podemos afirmar que estamos diante de uma cleptocracia (que se caracteriza não apenas pela roubalheira geral do patrimônio público, senão também pela impunidade dessa ladroagem). Considerando-se os dados de 2012 temos o seguinte: a Justiça brasileira, nesse ano, condenou 205 pessoas por corrupção, lavagem e improbidade. 
A Justiça brasileira, como se vê, com 3 mil prescrições anuais somente nessa área da corrupção e improbidade, é uma indústria fértil de prescrições (que ocorrem quando o Estado perde o direito de punir em razão do transcurso do tempo), que vêm beneficiando inclusive muitos políticos (Sarney, Maluf, Jader Barbalho etc.). Ela funciona muito mal e é extremamente morosa (daí a desconfiança da população, em todas as pesquisas na última década). Muitas vezes ela não tira proveito material da criminalidade organizada P6 (Parceria Público/Privada para a Pilhagem do Patrimônio Público). Mas, com tantas prescrições (milhares por ano, como se pode notar no Infográfico acima), não se pode negar que seja conivente com o malfeito, com a corrupção, em suma, com a cleptocracia. A Justiça faz parte do sistema de impunidade reinante no País, que beneficia todo tipo de criminoso, incluindo especialmente os larápios que vivem da pilhagem do dinheiro público.
Luiz Flávio Gomes
Professor
Jurista e professor. Fundador da Rede de Ensino LFG. Diretor-presidente do Instituto Avante Brasil. Foi Promotor de Justiça (1980 a 1983), Juiz de Direito (1983 a 1998) e Advogado (1999 a 2001). [ assessoria de comunicação e imprensa +55 11 991697674 [agenda de palestras e entrevistas] ]

PUBLICIDADE


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

PRESIDENTE LUCIANO CAPITÃO VAI ATÉ BRASILIA PARTICIPAR DE REUNIÕES COM LIDERANÇAS DE PERNAMBUCO E PROTOCOLA SOLICITAÇÕES

Dep. Federal Fernando Filho, Luciano Capitão, senador Fernando Bezerra e Evilásio Mateus

Atuante, o vereador presidente da Câmara de Araripina Luciano Capitão (PSB) esteve nos últimos dias juntamente com o vereador Evilásio Mateus (PDT) em Brasília-DF onde participaram de reuniões proveitosas com o ministro do desenvolvimento econômico Armando Monteiro (PTB), com o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) com o secretário das cidades André de Paula (PDS) e com o deputado federal Fernando Filho (PSB).


Luciano Capitão, André de Paula (secretário das cidades) e Evilásio Mateus
Diante do momento oportuno com os lideres políticos de Pernambuco na capital federal, o vereador Luciano Capitão e Evilásio protocolaram várias solicitações, entre elas, a defesa e o fortalecimento do pólo gesseiro do Araripe, a implantação da academia das cidades em Araripina, a limpeza do açude do Dnocs e as estradas de Lagoa do Barro e a que liga Pernambuco a Salitre.
vereadores do Araripe ao lado de empresários do setor gesseiro
Os vereadores retornaram para Araripina com expectativas muito boas de logo a região ser contemplada com mais desenvolvimento e oportunidade de trabalho e laser para todas as classes sociais.

Dessa forma, os parlamentares araripinenses tem demostrado com atitudes desse tipo que o verdadeiro líder é aquele que busca o melhor para o seu povo independente do lado político que esteja.

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO PREFEITO DE ARARIPINA ALEXANDRE ARRAES

Como é do conhecimento de todos, a prefeitura de Araripina, notadamente a gestão do prefeito Alexandre Arraes, vem sendo vítima de uma intensa campanha difamatória, venal e muitas vezes caluniosa, por parte de um programa de rádio, vinculado a uma emissora , cuja moeda é sempre o dinheiro, sem nenhum compromisso com a ética e com a verdade dos fatos. Baseado nisto, passamos a expor:

O Transporte do Escolar é um programa de apoio ao estudante formulado pelos três governos: Federal, Estadual e Municipal, sendo que os recursos pertinentes ao município estão dentro da normalidade, enquanto que os repasses das outras esferas de governo estão pendentes, gerando um significativo atraso no pagamento dos condutores de veículos.

De forma grosseira, sem compromisso com a imagem de nossa cidade, o citado programa, banhado pelo sensacionalismo mesquinho, pelas palavra fáceis para a população, descarrega o seu rancor e raiva no prefeito Alexandre Arraes, que busca incansavelmente reverter esta situação, em que todos são prejudicados.

A prefeitura em seu nome, e em nome daqueles que verdadeiramente primam pela verdade, repudia a conduta inconseqüente e irresponsável do locutor e da sua rádio, que insistem em desfazer da nossa cidade.

Contudo, acreditamos no Estado de Direito e as medidas legais estão sendo adotadas, para que a verdade e somente a verdade seja sempre balizadora da comunicação e que estes oportunistas de plantão, respeitem mais as autoridades constituídas e principalmente o povo de Araripina, que não aprova essa prática ultrapassada e conflitante com os dias atuais.

Com lamento por tão desagradável episódio.


Alexandre Arraes

Prefeito de Araripina

PUBLICIDADE


ITEP CONTRATA PROFESSORES PARA OS CENTROS TECNOLÓGICOS E FORMA CADASTRO DE RESERVA


O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) lançou o Edital nº 08/2015 relativo ao processo seletivo simplificado de professores temporários para atuarem nos cursos técnicos de nível médio nos Centros Tecnológicos de Pernambuco, localizados nos municípios de Olinda, Caruaru, Garanhuns, Serra Talhada e Araripina. A contratação é por tempo determinado, sob o regime celetista. As inscrições serão realizadas exclusivamente via site do Itep http://www.itep.br, no ambiente Trabalhe Conosco, a partir das 16h de hoje (25) até as 22h do dia 18 de março deste ano.

São oferecidas 50 vagas nos diversos centros e também haverá formação de cadastro de reserva. A lista completa das vagas, áreas temáticas, carga horária e requisitos mínimos está disponível no site do Itep (http://www.itep.br/images/anexosrh/08_2015/ANEXO%20I_vagas_requisitos_2015.pdf ).

Os docentes interessados devem preencher o requerimento de inscrição online (http://goo.gl/forms/l2PgPfLtTB), no qual deverão ser informados, obrigatoriamente, os números dos documentos de identidade, CPF, endereço completo, e-mail para contato, a titulação e a experiência profissional de que são detentores e, se for o caso, a condição de pessoa com deficiência. Após confirmação de inscrição, o candidato deverá encaminhar documentação comprobatória especificada no item 2.4 do edital, em formato pdf ou jpg (até 10 MB), para o e-mail uept@itep.br até às 22h do dia 18 de março. O candidato deverá aguardar a confirmação de recebimento, que será enviada para o endereço eletrônico informado no prazo máximo de 48 horas.

Entre os documentos solicitados estão: currículo Lattes; cópia dos principais títulos (certificados de conclusão de: curso técnico; diplomas de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado); diploma de conclusão de curso superior, devidamente revalidado por Instituição de Ensino Superior do Brasil reconhecida pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), no caso de ser estrangeiro; e cópia de certificados de participação em cursos, seminários, conferências e congressos na área da educação e áreas afins com carga horária mínima de 40 horas.

FASES – O processo seletivo será composto de três fases: prova de títulos de caráter eliminatório e classificatório; entrevista de caráter eliminatório e classificatório; e prova didática, pública, com entrega do Plano de Aula, de caráter eliminatório e classificatório. A primeira fase (prova de títulos) ocorrerá no período previsto de 19 a 30 de março, com publicação do resultado preliminar até o dia 30 de março, após as 16h. As datas específicas para cada Centro Tecnológico, horários e locais de realização das provas didáticas e entrevistas serão divulgados no site do Itep no dia 6 de abril. As provas didáticas e entrevistas ocorrerão no período de 9 a 24 de abril.

O resultado final do processo seletivo simplificado será publicado no dia 1º de maio. Serão classificados os candidatos, em ordem decrescente, em quantidade correspondente até três vezes o número de vagas, sendo esse mesmo quantitativo para aquelas vagas de cadastro de reserva.

REMUNERAÇÃO – A remuneração obedecerá aos critérios de pagamento estabelecidos na Instrução Normativa nº 20 (IN nº 20), de 17 de setembro de 2014, com a hora/aula variando de R$ 20,60 para o técnico de nível médio, R$ 25,75 para o graduado, R$ 30,90 para o especialista, R$ 36,05 para o mestre e R$ 46,35 para o doutor.

Mais informações
(81) 3183.4256